EPB Revista junho 2011

Download: 

Finalistas, de partida...

Parafraseando Miguel Torga, “O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura”, ideia que reenvia para a partida de cerca de duas centenas de alunos e a consequente colheita dos frutos do seu trabalho: uma certificação profissional de nível IV e a possibilidade de avançar para outras aventuras – mercado de trabalho ou ensino superior.
Entretanto, pairam no ar indisfarçáveis sentimentos de orgulho e de nostalgia: de orgulho, por sentirem a importância da Escola no seu crescimento podendo dizer: “sou um técnico profissional formado na EPB!”; de nostalgia, porque, com a partida, virá a falta da sua turma, das amizades, da sua secretária, dos seus professores, de muitos encontros e desencontros.

Os alunos finalistas deixam a Escola num tempo de muitas incertezas que lhes trará dificuldades em entrar num contexto muito resistente à sua absorção, um mercado onde apenas alguns terão reais possibilidades. Entram numa aventura em que muito contarão as competências adquiridas, o seu currículo, argumento de peso que levam na bagagem de esperanças.
É então que o conhecimento técnico e científico e os valores da pessoa humana, adquiridos na aventura do ensino profissional, ganham sentido real, tornando-se um capital importante na vida de cada um. Como espelham os seus rostos meninos que manifestam impressões adultas de quem reconhece que o empenho, o trabalho e a persistência, afinal, compensam.

São células da família epb, são pessoas que constituem o ADN e o rosto da Escola Profissional de Braga.
Entretanto, a Escola continuará, pois mantém-se a sua matriz, a cepa, a essência, a marca epb como instituição de referência que eles ajudaram a construir, esperando-se que prossiga a sua missão para dar forma a outros sonhos e, assim, poderem realizar-se muitas vindimas pelo tempo fora.

A finalizar, a equipa editorial da epb Revista felicita estes alunos pelo êxito alcançado e pela forma como atingiram o seu sonho, as metas traçadas: pelo querer, pela persistência, pelo trabalho e pela assunção de vontades, justificando, em pleno, “os beijos merecidos da Verdade!”, como diz Pessoa.

Fernando Silva